Higiene íntima da mulher: médica aponta mitos e verdades

Cuidados com a região vaginal ajudam a evitar infecções
Por Mariana Bueno
Crédito: Thinkstock
Crédito: Thinkstock

Os cuidados com a higiene íntima são essenciais para evitar a proliferação de fungos e bactérias que podem causar infecções. Mas muita gente ainda tem dúvidas sobre o que é certo e o que é errado na hora de fazer a higiene local. A ginecologista e obstetra Maria Elisa Noriler esclarece alguns mitos e verdades:

Leia também:
10 formas de manter a sua vagina saudável
Hábitos que estão acabando com a saúde da sua vagina
7 dicas de higiene íntima para enfrentar o expediente com saúde

Apenas a parte externa da vagina deve ser lavada no banho? Verdade. 

"Não há necessidade de duchas vaginais, pois ela pode alterar a flora vaginal", afirma. Segundo a médica, a própria vagina faz naturalmente a limpeza interna.

É indicado retirar todos os pelos pubianos na depilação? Mito.

O pelo tem a função de proteger a região da vagina. Muitas mulheres que os retiram totalmente desenvolvem processos de coceira local.

O jeito certo de se limpar é "de frente para trás"? Verdade.

Esse movimento com o papel higiênico evita a passagem de fezes para a saída do canal de urina, evitando que sejam desencadeadas infecções.

Lenço umedecido é melhor para limpar a região vaginal que o papel higiênico? Mito.

"O uso contínuo dos lenços pode causar irritações ou reações de hipersensibilidade", explica. O ideal é que a região seja bem limpa com o papel higiênico. 

É normal ter corrimento? Verdade.

O corrimento incolor e sem cheiro é normal. Mas quanto apresenta alguma coloração ou odor, pode ser sinal de infecção.

Usar sabonetes específicos regula o PH da região? Mito. 

A higiene local deve ser feita apenas com água e sabonete comum. Os sabonetes íntimos são indicados apenas nos casos em que as mulheres apresentem alguma alergia a outros tipos de sabonete.

Os protetores diários de calcinha podem causar infecções? Verdade.

Eles abafam a região e esse abafamento propicia o crescimento de fundos e bactérias anaeróbias, que podem desencadear alguns problemas infecciosos.

Durante o período menstrual a região precisa ser lava com mais frequência? Mito.

A troca constante do absorvente interno ou externo - a cada quatro horas, no máximo - é suficiente para que não haja o surgimento de odores.

Roupas muito justas favorecem a proliferação de fungos e bactérias na vagina? Verdade.

Calças ou meia-calças muito apertadas comprimem e abafam a região. Por isso, a dica é optar por peças mais soltas e confortáveis. "A região íntima precisa de ventilação", explica.

Calcinhas de renda ou lycra são mais indicadas? Mito.

Pelo contrário, esse tipo de material abafa a região. "Prefira as calcinhas de algodão, que melhoram a ventilação. E é aconselhável também dormir sem calcinha", diz.

Lavar a calcinha durante o banho e deixá-la secar no banheiro faz com que haja proliferação de bactérias? Verdade.

O problema não está na lavagem, mas sim em deixar a calcinha secando no banheiro. Por ser um local úmido, não é indicado para secar roupas, pois favorece a proliferação de fungos.

É preciso passar a calcinha? Mito. 

Se ela secar corretamente, não é necessário passar, pois não há riscos de crescimento de bactérias.

Matérias Recomendadas