Transforme seu talento em uma prazerosa e rentável profissão

Eles descobriram sua real vocação de repente, mudaram radicalmente de área e se deram bem. Conheça essas histórias e veja se não é a hora de você fazer o mesmoPor Mônica Trindade Canejo   “O que você quer ser quando crescer?” A pergunta, sempre repetida na infância, é provavelmente a primeira cobrança para planejarmos uma carreira. Mas [...]
Por Redação

Eles descobriram sua real vocação de repente, mudaram radicalmente de área e se deram bem. Conheça essas histórias e veja se não é a hora de você fazer o mesmoPor Mônica Trindade Canejo

 

“O que você quer ser quando crescer?” A pergunta, sempre repetida na infância, é provavelmente a primeira cobrança para planejarmos uma carreira. Mas como saber aos 8 ou aos 12 anos o que se deseja fazer aos 30? Não sabemos, mas para satisfazer a curiosidade adulta é comum elegermos uma ocupação que nos pareça interessante e, sem questionar, passar a vida nos preparando para exercê-la no futuro.

 

Com empenho e preparo, é natural que nos tornemos bons naquilo que fazemos, mas será que não estaríamos mais felizes exercitando outra vocação? Nesse sentido, programar todos os passos de uma carreira pode, às vezes, ser uma armadilha que aprisiona um anseio natural, pois dirige nossa atenção para um determinado objetivo, o que de certa forma bloqueia nossa percepção para oportunidades outras, que podem nos realizar mais plenamente. Não ter certeza de onde se quer chegar, portanto, não é sinal de incapacidade de gerir a própria carreira. Ao contrário, pode ser uma porta aberta para novas possibilidades profissionais. Arthur Ranieri sabe bem disso. Alto executivo de um banco, ele descobriu que queria ser consultor profissional.

 

O acaso e a intuição também abriram caminho para a virada de mesa da banqueteira Maria Alice Solimene. Afinal, como chegaram lá? Acredite, da forma menos ortodoxa possível, deixando a vida redirecionar suas escolhas. Segundo a consultora profissional Elizabeth Zamerul, pessoas assim têm algumas características em comum: coragem de se arriscar, criatividade, flexibilidade diante de mudanças e perspicácia. Isto significa que elas enxergam possibilidades nem tão óbvias. Também costumam ser intuitivas e antenadas com as tendências, ou seja, percebem “sinais sutis no ar”.

 

Outra característica que facilita esse tipo de sucesso é a postura frente aos desafios. São pessoas que, longe de se sentirem vítimas das circunstâncias, assumem as rédeas de sua vida. “Por terem um sentido mais claro, mesmo sem planejar uma carreira, essas pessoas seguem esta bússola interna para tomar decisões acertadas que as levam ao sucesso. Algumas vezes, apenas sabem reconhecer uma boa oportunidade e se entregam a ela com paixão”, explica Elizabeth.

Como todo mundo, elas também erram. Mas levantam rapidamente e procuram, sem se resignar, as formas de contornar os tropeços. E quem não se encaixa nesse perfil também consegue mudar de rumo? Sim, estas características podem ser desenvolvidas e a boa notícia é que para isso não é necessário fazer nenhum MBA ou curso de reciclagem. Basta afinar a sensibilidade para perceber aqueles sinais cotidianos que muitas vezes nos

passam despercebidos. Foi o que fizeram.

 

Veja as histórias!

 

Matérias Recomendadas