Mães

(Thinkstock)

8 atitudes para fazer seu bebê dormir bem a noite inteirinha

A hora de o bebê dormir é um problema para você? Não consegue manter uma rotina ou sente que algumas coisas atrapalham o sono dele durante a noite? Esses problemas podem ser contornados adotando alguns hábitos. Para ajudar a melhorar a qualidade do sono das crianças, a pediatra Dra. Flavia Oliveira dá oito recomendações para as mamães e papais seguirem.

Evite expor seu filho a aparelhos eletrônicos antes de dormir - Segundo a médica, estes equipamentos emitem uma luz azul, invisível aos olhos, que reduz a produção da melatonina, o hormônio do sono. Este fator é uma influência sobretudo após os três meses, quando o bebê inicia a produção desse hormônio.Estabeleça um ritual de sono - Esta rotina deve ser implantada desde os primeiros dias de vida dos bebês. O banho noturno ajuda muito e embora nas primeiras semanas eles costumem não gostar, com o tempo se habituam e funciona como um relaxamento, de acordo com a pediatra.Não “atenda” o bebê a cada pequeno resmungo - O ciclo de sono dos bebês é menor em relação ao dos adultos e metade dele acontece de maneira superficial. Então, é comum o bebê acordar com facilidade. Se você for até ele a cada resmungo pode atrapalhá-lo, pois ele pode estar em um momento de transição para um novo ciclo de sono.Respeite a janela do sono do bebê - Este período inclui aqueles minutos que o pequeno tem mais facilidade em dormir. No entanto, os pais podem acabar interpretando os sinais de maneira inadequada, porque a criança fica agitada e a tendência é acreditar que ela não quer dormir. Essa janela pode se manifestar como bocejo, o coçar dos olhos ou a agitação corporal. Portanto, assim que perceber algum desses indícios coloque o pequeno para dormir.Evite criar situações de dependência - Dessa forma o bebê faz associações de sono desde cedo e você precisará sempre destes artifícios. Ficar andando e embalando o bebê para ele pegar no sono é um exemplo disto. Deixe-o dormir bem durante o dia - As sonecas durante o dia deixam o bebê mais relaxado e ajudam no sono durante a noite. A médica afirma que grande parte das pessoas acredita que manter o bebê acordado de tarde o deixará cansado e assim ele dormirá facilmente de noite. Isso é um mito, pois na realidade, se ele estiver muito cansado terá mais dificuldade para pegar no sono.Sons podem acalmar - Segundo Dra. Flavia, nos primeiros meses de vida o bebê ainda tem a memória do ambiente intrauterino, e por isso o ruído branco (sons de cachoeira ou mar) pode ajudar a acalmar o bebê. O momento ideal para desligar o som é assim que ele relaxa e entra no sono profundo, que ocorre entre 15 e 20 minutos após ele adormecer.Ambiente propício ao sono - A médica explica que o quarto da criança deve estar totalmente escuro e com a temperatura a agradável. Isso está relacionado ao conceito de higiene do sono, que é manter um ambiente apropriado ao sono sem elementos de interferência.
(Thinkstock)

Grávida pode se depilar? Veja quais métodos são permitidos

Após engravidar, muitos cuidados de beleza da mulher ficam comprometidos. A depilação durante a gravidez, por exemplo, é alvo de muitas dúvidas. Enquanto alguns produtos são proibidos para as gestantes, existem outros menos nocivos que podem ser usados por elas.

Cera: segundo a depiladora, a cera quente, fria ou morna não apresenta riscos à saúde da gestante e do bebê. No entanto, a ginecologista alerta para o cuidado com a cera por causa das chances de infecção ou inflamação, pois os riscos para as grávidas são maiores. Além disso, este método é proibido no início da gestaçãoLâmina: segundo a ginecologista e obstetra Dra Erica Mantelli, as grávidas podem fazer a depilação com lâmina, uma vez que não prejudica a saúde da mulher e não gera dor. A depiladora da Depilrica, Cristiane dos Santos, afirma que a lâmina tem passe livre de um modo geral, porém, o aumento da sensibilidade da pele pode representar um aumento de pelos encravadosLaser: este método está terminantemente proibido para as gestantes. Segundo a depiladora, o uso de laser ou eletrólise, pode ser em princípio, seguro para a mulher, mas não se sabe a extensão disso para o bebê. A médica também afirma que não existem estudos que comprovem que a depilação a laser não seja prejudicial para a gestante ou para o bebêCremes depilatórios: precisam ser evitados, pois não existem estudos que comprovem sua segurança para a saúde do bebê. Além disso, médicos e fabricantes não os recomendam por possuírem amônia. De acordo com Cristiane, a substância poder chegar à corrente sanguínea do bebê por meio da pele e sangue da mãe
(Thinkstock)

9 coisas que todo mundo deveria saber sobre depressão pós-parto

A depressão pós-parto é uma condição psicológica que pode afetar algumas mulheres que acabaram de dar à luz. Normalmente, devido às alterações hormonais, a mãe pode sentir uma tristeza sem explicação dois ou três dias após o nascimento do bebê. Porém, se esse sinal permanecer depois de algumas semanas, ela pode estar com a depressão. 

Depressão x depressão no pós-parto - Segundo o psiquiatra, em termos de entidade clínica, não existe diferença entre depressão e depressão pós-parto. “O que essas classificações determinam é uma depressão dentro de uma época ou episódio”Em quantos dias a depressão pode aparecer? - A depressão pós-parto pode surgir de duas a três semanas após o parto, mas a mulher também pode apresentar sintomas até mesmo durante a gestaçãoPor que algumas mães têm depressão? - O pós parto é marcado não só pela alteração hormonal, como por uma mudança no estilo de vida também. Algumas mães acabam entendendo a gravidez não como um ganho, mas como uma perda de beleza, espaço, convívio social e relações no trabalho, por exemplo. “Isso pode desenvolver um quadro depressivo grave que vai fazer com que surja um sentimento de rejeição, algo que está além do quadro hormonal e implica como ela vai lidar com esse novo ser em sua vida”, explica Dr. IvanExistem riscos para o bebê? - “O risco de uma agressão é muito baixo. O maior risco para o bebê é o próprio desinteresse e rejeição da mãe”, defineExiste uma predisposição ao problema? - Caso a mulher já tenha tido um quadro depressivo anteriormente, a chance de ter de novo é maior. E se ela teve depressão pós-parto em outra gravidez, possui 50% de chance de ter novamente, afirma o psiquiatraApoio da família é importante - É essencial que a família compreenda a situação sem julgamentos e, não só neste momento, mas em todos os outros ao longo da vida, ela deve dar conforto para a mãeQuando é preciso procurar um médico? - “Se o quadro for muito grave, no qual já nos primeiros dias a pessoa fica incompatibilizada com o bebê, então tem que buscar tratamento imediato”, alerta o médico. Porém, se o quadro for mais leve e houver uma sutil alteração de humor que contraste com uma expectativa de felicidade, ela pode esperar duas semanasQual é o tratamento? - Segundo o especialista, o tratamento deve ter uma combinação de abordagens entre a psicoterapia e psicofármaco: “O medicamento pode mexer na questão da alteração bioquímica, mas tem questões, como a relação entre a mãe e a criança, que o medicamento não vai resolver”Os medicamentos podem ser tomados durante a amamentação? - “Alguns antidepressivos estão há muito tempo no mercado e têm uma certa segurança no seu uso em relação ao bebê. Na amamentação, esses medicamentos têm metabolização mais rápida no corpo da mãe e, por isso, baixa concentração no leite”, esclarece
Thinkstock

9 exercícios para fazer com o bebê que emagrecem mais rápido

Ganhar alguns quilinhos durante a gravidez é normal, e perde-los é uma das preocupações das mamães depois de dar à luz. Encontrar um tempo livre entre amamentação, banho e troca de fraldas para ir a academia é difícil, por isso treinar com o bebê em casa ou no parque é uma ótima opção.

Aquecimento: para aquecer antes de começar os exercícios, afaste as pernas na largura do quadril, flexionando levemente. Eleve os braços e movimente o tronco para os lados, por 15 segundos.Alongamento: apoie uma das mãos no carrinho do bebê flexionando levemente a perna do mesmo lado. Segure o pé do outro lado do corpo, puxando para trás aproximando do quadril. Mantenha a posição por 15 segundos e depois repita com o outro lado.Agachamento: mantenha as pernas afastadas em uma largura um pouco maior que os ombros e o quadril e alinhe os joelhos e os pés. Apoie os braços no carrinho do bebê e realize o movimento de agachamento flexionando o joelho até 90 graus.Elevação frontal: este movimento já é feito diariamente, na hora de pegar o bebe, na hora de amamentar. Afaste as pernas na amplitude do quadril e flexione levemente os joelhos. Inicialmente você pode começar com um pacote de fraldas e depois passar para algo um pouco mais pesado como o bebe conforto. 12 repetições.Ponte: este exercício treina os glúteos, a musculatura abdominal e a coluna. Deite em um colchonete de barriga para cima, afaste as pernas na largura do quadril e alinhe os joelhos e os pés. Coloque o bebe de frente para você sobre a região do quadril. Eleve o quadril do solo de 5 a 10 vezes.Exercício para os braços: para fortalecer a musculatura do braço, mantenha as pernas afastadas, a direita para frente e a esquerda para trás, em uma distância média uma da outra. Apoie a mão direita no carrinho, incline o corpo um pouco para frente, contraindo o abdômen e puxe lentamente o bebe conforto com o braço esquerdo, mantendo o cotovelo levemente para fora.Caminhada: caminhar com o carrinho de bebê é uma ótima forma de voltar a praticar exercícios físicos. Além de ser bom para levar o bebê para passear você queima calorias. À medida que você empurra o carrinho, está trabalhando a musculatura da perna, dos braços e do abdômen.Exercício para a coluna: flexione os joelhos com os pés na largura do quadril, contraia o abdômen e segure o bebê na sua frente, trazendo-o até você com o cotovelo junto ao corpo. Faça 15 repetições deste movimento que trabalha os músculos das costas.Elevação alternada de joelhos: afaste as pernas na largura do quadril, e apoie uma das mãos no carrinho. Eleve um dos joelhos para frente na altura do quadril, alternando-os em 10 repetições.
Crédito: Thinkstock

Criança que enjoa no carro: o que fazer? Saiba lidar

Tanto os bebês, como as crianças e até mesmo os adultos podem sentir enjoos ao andar de carro. Isso acontece por diversos motivos, como ter comido ou bebido muito líquido antes de entrar no veículo, estar mais indisposto naquele dia, estar com alguma virose ou, ainda, em casos de crianças mais velhas e adultos, ter o chamado mal do movimento ou cinetose.  

Crédito: Kate Murray/Reprodução Mirror

É possível amamentar depois do câncer de mama? Entenda

Uma americana que precisou remover um seio durante a gravidez, após descobrir um câncer de mama em estado avançado, se emocionou ao poder amamentar seu filho no outro seio logo após o nascimento. As imagens, feitas pela fotógrafa Kate Murray, viralizaram nas redes sociais.

Crédito: Thinkstock

Boa forma depois da gravidez: 9 tratamentos para apostar

Para conseguir acomodar um bebê dentro da barriga, o corpo feminino passa por muitas mudanças durante a gravidez. Mas depois que os filhos nascem, as mulheres ficam ansiosas para recuperarem a boa forma, acabarem com a flacidez abdominal, eliminarem as estrias e voltarem ao corpo que tinham antes . Além dos cuidados com a alimentação e a prática de atividades físicas, os tratamentos estéticos podem ser grandes aliados. 

Drenagem linfática: ajuda a eliminar o excesso de líquido das células do corpo, que deixam a mulher inchada.Massagem modeladora: desmancha as gorduras acumuladas, fazendo com que as toxinas sejam levadas para a corrente sanguínea e eliminadas pela urina e o suor.Lipocavitação: uma espécie de lipoaspiração sem cortes, com ondas de ultrassom que prometem reduzir até três centímetros em uma sessão, além de eliminar celulites.Radiofrequência: trata a flacidez, estimulando a produção de colágeno e promovendo contração das fibras e remodelação imediata do tecido.Luz pulsada: pode ser aplicada em diferentes partes do corpo, combatendo as estrias recentes ou as olheiras através da ativação da circulação do sangue e estímulo à remodelação do colágeno.Carboxiterapia: infusão de gás carbônico em diferentes camadas da pele, também é indicada para rosto (olheiras) e corpo (celulite, estrias, flacidez e gordura localizada).Roller: pequeno rolo com microagulhas que deslisa pela pele, realizando microperfurações que removem as camadas danificadas da e estimulam a produção de um novo tecido.Heccus: combina ultrassom de alta potência e correntes elétricas para acelerar o metabolismo e quebrar as células de gordura, além de melhorar a textura da pele.Peeling de Diamante: renova a camada superior da pele, deixando mais amenas as manchas do rosto surgidas na gravidez e as linhas de expressão.
(Thinkstock)

Grávida e química no cabelo: 2 técnicas proibidas e 4 possibilidades

Durante a gravidez é comum que as mulheres deixem de lado alguns hábitos comuns de beleza para não prejudicar o bebê. Entre as práticas abandonadas por elas estão os tratamentos com química e o alisamento de cabelo. Porém, existem cuidados permitidos em determinados períodos da gestação. Para acabar com as dúvidas, especialistas explicam o que é permitido para as futuras mamães - mas lembre-se: sempre consulte o seu médico antes de apostar em qualquer tipo de tratamento.

Viviane afirma que a química é muito pouco absorvida pelo corpo: “A maioria das minhas clientes grávidas continua tingindo o cabelo normalmente e os bebês nasceram saudáveis”, exemplificaOs médicos recomendam que se espere passar o primeiro trimestre da gestação, pois é um período mais delicado, em que os tecidos e órgãos do bebê estão em formação. Essa dica vale tanto para o alisamento, quanto para a tinturaSegundo a hairstylist, luzes e reflexos são opções muito seguras, pois praticamente não tocam o couro cabeludoA especialista recomenda que a profissional fique atenta ao local onde a grávida fará o tratamento. Ele deve ser bastante ventilado e deve estar longe de vapores químicos de outras clientesA especialista dá preferência aos produtos sem cheiro forte e sem amônia nas gestantes. “Elas são mais sensíveis a odores e além disso, tem a imunidade mais baixa, o que pode provocar alergias”, explicaSe a gestante for fazer um alisamento, ela precisa se certificar de que a escova não possui formol, que é uma substância muito tóxicaPara as gestantes que desejam disfarçar cabelos brancos, os tonalizantes de curta duração e a hena natural são boas opções
Crédito: Thinkstock

7 dicas para evitar risco de morte súbita em bebês

Após o nascimento de um filho, é natural que os pais tenham algumas preocupações, como saber a posição certa para dormir e evitar o risco de morte súbita do bebê

Crédito: Thinkstock

Musculação na gravidez: 4 exercícios para fazer e 3 para evitar

Fazer musculação na gravidez proporciona resistência e fortalece a musculatura das futuras mamães, e isso ajuda a suportar com mais facilidade o peso extra, diminui riscos de doenças e aumenta a tolerância à dor, o que pode ser importante na hora do parto. Porém, nem todos os tipos de exercícios na academia são recomendados para as gestantes. 

Faça: agachamento. Ele melhora a força de todos os músculos de membros inferiores e facilita o suporte ao peso ganho na gravidez. Mas tem que ser algo leve, evitado cargas elevadas.Evite: abdominais. Os abdominais tradicionais, com a barriga para cima, não devem ser feitos, pois é uma posição que faz o fluxo de sangue para o bebê ser reduzido. A melhor forma de fortalecer o abdômen é com exercícios estáticos.Faça: levantamento de peso leve. Levantar peso para os braços é outro exercício indicado e irá facilitar a vida da mãe no pós-parto, para carregar o filho sem esforços. Mas também deve ser feito sem exageros e cargas elevadas.Evite: exercícios de barriga para cima. Exercícios realizados no chão ou em qualquer aparelho que utilize a posição supina (barriga pra cima) devem ser evitados após o segundo trimestre, pelo aumento da compressão abdominal sobre o bebê.Faça: treino funcional. O treinamento funcional e pilates são atividades recomendadas por melhorarem a força, equilíbrio e flexibilidade da gestante.Evite: CrossFit. Atividades como o CrossFit também não são indicados para gestantes, pois não tem uma sequência definida de treinos e se torna muito intenso para gestantes.Faça: aparelhos de perna. Exercícios para pernas, visando o fortalecimento de membros inferiores, devem ser feitos com moderação e supervisão. Nada de utilizar aparelhos pesados.