Por que ninguém aceita que Jennifer Aniston não quer ter filhos?

por | set 29, 2017 | Gravidez e bebês

Parece simplesmente inaceitável que uma mulher em idade fértil, adulta e bem sucedida não queira ou (ainda) não tenha tido filhos.

Isso acontece todos os dias, mas fica mais evidente quando um questionamento surge do mundo da fama. Diversas famosas sofrem com especulações a respeito dessa decisão, entre elas está Jennifer Aniston, que já precisou desenvolver suas estratégias de defesa contra a imprensa.

Decisão de não ter filhos: por que incomoda?

Quando se separou de Brad Pitt, em 2005, diversos veículos especulavam que a separação teria ocorrido por Jennifer se recusar a ter filhos com o ator.

Mais de 10 anos depois, o assunto maternidade ainda a persegue. Vira e mexe surge um novo boato de que Jennifer Aniston estaria grávida, e esse assunto já ganhou páginas de diversas revistas, em várias partes do mundo. Não só falsas gestações foram amplamente divulgadas, como supostas consultas a médicos especializados em inseminação artificial, e até cogitaram que ela tentaria a fertilização in vitro.

Getty Images

Respostas de Jennifer Aniston sobre gravidez

A atriz já se pronunciou sobre essa pressão que cai sobre ela algumas vezes.

Em julho de 2016, ela resolveu tentar um basta e publicou um desabafo pessoal no site do jornal Huffington Post, em resposta aos frequentes boatos sobre supostas gestações e criticando a forma como a mídia sensacionalista e a sociedade tratam as mulheres.

A gota d’água teria sido a capa da revista de celebridades americana “In Touch”, repleta de chamadas tendenciosas como: “Bebê milagroso aos 47” e “Jen está finalmente grávida”, sugerindo uma gravidez de seu noivo na época, Justin Theroux. Mesmo sem a atriz confirmar a informação, a notícia teve repercussão mundial e rendeu estas palavras de Jennifer:

Para registrar, eu não estou grávida. O que eu estou é farta. (…) A objetificação e escrutínio que submetemos as mulheres é absurdo e perturbador. A maneira com que eu sou retratada pela mídia é simplesmente um reflexo de como nós vemos e retratamos as mulheres em geral, todas medidas por um padrão distorcido de beleza. Aqui é onde eu queria chegar neste assunto: nós somos completas com ou sem um companheiro, com ou sem um filho. Somos nós quem temos que decidir, por nós mesmas, o que é bonito quando o assunto é nosso corpo. A decisão é nossa, e só nossa”.

Getty Images

O desabafo mais recente aconteceu na revista americana InStyle de agosto de 2018, da qual Jennifer foi capa. Com recém seis meses completos de sua separação de Theroux, ela falou abertamente sobre as cobranças sobre seus relacionamentos e a maternidade.

“É louco. Os comentários são ‘Jen não consegue segurar um homem’ e ‘Jen se recusa a ter um bebê porque ela é egoísta e só pensa na carreira’. (…) Há pressão para as mulheres para elas serem mães e, se elas não são, elas são classificadas como produtos com defeito. Talvez minha missão neste planeta não seja procriar. Talvez eu tenha outras coisas a fazer?”.

Cobrança feminina

Esse é um dos maiores debates dentro do feminismo: por que a mulher não pode decidir, simplesmente, não ser mãe?

E não é que seja algo ruim. A ideia é de que seja possível que isso seja uma escolha – e, claro, muitas podem escolher ter filhos, não há nada de errado nisso. Mas por que, quem opta pelo contrário, é tida como menos mulher ou menos digna?

Essa pressão recai sobre mulheres e não é de hoje. A sociedade ensinou que para ser uma mulher de sucesso, não é preciso ter um bom emprego ou bens materiais – como é entendido sobre o sucesso masculino – mas sim, formar uma família e se tornar mãe. Não há algo errado aí? Se você nunca pensou sobre isso, talvez Jennifer Aniston te dê a possibilidade de refletir.

Igualdade às mulheres