Milagre em Santos ajudou canonização de Madre Teresa de Calcutá: conheça história

por | set 2, 2016 | Notícias

Neste domingo (4), a Igreja Católica faz o processo de canonização de Madre Teresa de Calcutá, que se torna santa. A cerimônia é realizada pelo Papa Francisco, na Praça São Pedro, no Vaticano, após o reconhecimento do segundo milagre atribuído à Madre Teresa, que foi, inclusive, recebido por um morador da cidade de Santos, no litoral de São Paulo.

Conheça agora a história completa de uma das católicas mais famosas do mundo, como funciona o processo de canonização e quais foram os dois milagres atribuídos à missionária.

Madre Teresa de Calcutá: processo de canonização

A canonização de Madre Teresa de Calcutá – que se tornará Santa Teresa de Calcutá – acontecerá no Vaticano, com a previsão de público de mais de 100 mil pessoas. Para chegar a essa parte do processo, foi preciso que a Igreja Católica reconhecesse dois milagres atribuídos à missionária.

Isto porque a canonização é a etapa seguinte à beatificação – fato que já havia ocorrido em 2003, pelo Papa João Paulo II, depois do reconhecimento de uma cura milagrosa em uma mulher de Bangladesh por intercessão de Madre Teresa. 

Em 1998, Monika Besra tinha um tumor ovariano e estava sendo tratada em um centro das Missionárias da Caridade, ordem fundada por Madre Teresa. Duas freiras, então, colocaram uma medalhinha de alumínio abençoada pela missionária sobre a barriga de Monika e rezaram pela doente. Ela afirma que se levantou e sentiu que o tumor havia desaparecido.

“Não podia acreditar. Toquei meu estômago, apertei, belisquei. Havia desaparecido. Não estava sonhando”, contou a mulher à agência de notícias AFP, conforme reportado pelo UOL.

O segundo milagre, que foi investigado e reconhecido pelo Vaticano, aconteceu muito mais perto de nós, em Santos, cidade do litoral paulista. 

Em 2008, Marcílio Haddad Andrino foi internado no hospital com oito bolas de pus em sua cabeça. Elas desapareceram sem qualquer procedimento cirúrgico e esta cura também foi atribuída à missionária. 

A mulher de Marcílio, Fernanda Nascimento Rocha, havia recebido um santinho de Madre Teresa de Calcutá, uma oração e um pedaço do hábito de um padre que sempre apoiou o casal. Ela colocou a imagem sob o travesseiro do marido, que foi curado e também participa da celebração no Vaticano.

Para o cardeal Secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, a canonização de Madre Teresa é uma homenagem àquela que “nos ensina a superar a indiferença, que humilha o cinismo. Abrir os olhos para ver o que acontece, abrir o coração e as mãos para dar respostas” e que o reconhecimento dela como santa “torna-se um apelo à misericórdia neste mundo tão fragmentado. Um apelo para que o mundo reencontre razões para viver e esperar”.

Vida de Madre Teresa de Calcutá

Agnes Gonxha Bojaxhiu é o nome da Madre Teresa de Calcutá, que nasceu em 1910, em Skopie, na Albânia. Aos 18 anos, entrou na Congregação das Irmãs de Loreto, na Irlanda e, no ano seguinte, foi para Índia. 

Lá, fez pela primeira vez seus votos religiosos e promoveu seu trabalho reconhecido mundialmente de caridade, ensinamentos e entrega aos pobres.

Em 1946, recebeu um chamado cristão para “renunciar tudo e servir aos mais pobres dos mais pobres”. Dois anos depois, iniciou sua missão nas áreas mais necessitadas da cidade indiana de Calcutá.

Por seu trabalho, Madre Teresa se tornou uma imagem de amor e misericórdia em todo o mundo e ganhou o Nobel da Paz em 1979.

Papa Francisco: 7 momentos em que ele revolucionou a Igreja