Dores nas costas foram o primeiro sinal de doença grave causada pelo anticoncepcional

por | jun 30, 2016 | Comportamento

Dores absurdas nas costas foram o primeiro sinal que a jornalista Diandra Arbia teve de que algo estava errado em seu corpo – mas não poderia imaginar que seria algo tão grave e, menos ainda, de que o causador seria o anticoncepcional.

Trombose por anticoncepcional

Diandra passou por maus bocados até descobrir que a pílula teria sido a causadora de uma tromboembolia pulmonar (trombose).

“Senti fortes dores nas costas e, no hospital, me diagnosticaram com contratura muscular. Fui liberada, mas voltei a passar mal e, então, me internaram sob suspeita de pneumonia. Só depois os médicos descobriram a doença e, eliminando a possibilidade de trauma, disseram que o que poderia ter causado isso era a pílula anticoncepcional”, conta Diandra, que na época havia trocado de marca de anticoncepcional dois meses antes da desagradável surpresa.

Segundo o ginecologista Hugo Maia Filho, o problema pode ter acontecido por conta da mudança para um remédio que continha maiores níveis de estrogênio. “A trombose geralmente ocorre no início do tratamento e, portanto, a mulher deve ser melhor observada nos primeiros meses do uso do anticoncepcional. Quanto maior for o prazo de uso, menores são os riscos de desenvolver”, explica.

Por isso, é importante que o cuidado seja permanente. O médico precisa ser consultado antes do início do tratamento e durante, para acompanhar o quadro da paciente. Para tirar proveito apenas dos benefícios dos anticoncepcionais, fique atenta ao seu histórico familiar e pessoal e relate ao especialista, que saberá indicar o medicamento adequado.

Riscos da pílula anticoncepcional

Menos chances de desenvolver determinadas doenças e diminuição dos sintomas da TPM, além de evitar gravidez indesejada. Muitos são os benefícios da pílula anticoncepcional. Mas, antes de iniciar o uso de determinado comprimido, é preciso saber que existem riscos e não se deve iniciar o tratamento sem consultar um médico.

“A mulher que usa anticoncepcionais orais tem menor chances de desenvolver câncer de ovário, endométrio e cólon (intestino grosso). Reduz também a chance de desenvolver endometriose, mioma, cistos funcionais do ovário, doenças benignas da mama e anemia, além de tratar a TPM. Os riscos são bem menores do que os benefícios, mas existem”, explica o ginecologista Hugo Maia Filho.

O principal problema pode acontecer por conta dos níveis de hormônio existentes nos remédios. “Os efeitos são causados pelo componente estrogênico ou progestogênico do anticoncepcional”. Se a mulher for sensível a alguma das substâncias, pode desenvolver graves doenças. “A trombose é a mais temida. Mas algumas mulheres podem ter reações adversas como sangramento uterino irregular, dor mamária, cefaleia, baixa de libido e ganho de peso”, lista o profissional.

Leia também