Por que às vezes parece que a Lua está tão grande e brilhante? E ela pode estar mesmo

por | ago 10, 2017 | Ciência

Você já olhou para o céu e teve a impressão de que a Lua estava maior e mais brilhante? É comum que isso aconteça durante a fase da lua nova, quando o disco lunar aparece por inteiro para nós, ou seja, a face do satélite virada para a Terra reflete toda a luz que recebe do Sol.

E isso tudo realmente varia: o tamanho do disco da Lua aparece maior ou menor de acordo com a distância dela para a Terra e a luminosidade também tem influências astronômicas e atmosféricas.

Ou seja, se você está vendo a Lua maior e com mais brilho, pode ser que ela esteja pertinho da Terra – embora na maioria das vezes seja uma mera impressão subjetiva.

O que muda a aparência da Lua? 

Distância entre Lua e Terra

Assim como a Terra gira em torno do Sol, a Lua gira em torno da Terra. Nesta dança dos astros cósmicos, a distância entre o planeta e o satélite natural aumenta e diminui.

Quando ela está em seu maior pico de distância (aproximadamente 405 mil quilômetros) – e portanto visivelmente menor – dá-se o nome de apogeu, e quando a Lua está o mais perto possível (pouco menos de 360 mil quilômetros) – e portanto visivelmente maior – chamamos de perigeu. 

istock

Condições atmosféricas

É possível também que a Lua pareça maior, mas esteja em uma posição regular de sua órbita. Isso ocorre porque embora a posição dos astros seja conhecida e previsível para nós, outros elementos da atmosfera terrestre também influenciam quando observamos o céu. Os principais são a luminosidade e a presença de nuvens e poluição.

“Se a lua cheia for observada em um momento em que o céu estiver sem nuvens e sem poluição, por exemplo, ela vai parecer maior e mais brilhante. Mas se medirmos o tamanho do disco e a luminosidade veremos que ela não está”, explica o astrônomo Roberto Costa, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP.

Um trabalho publicado na Science Advances demonstrou que a poluição luminosa atrapalha nossa capacidade de ver todos os elementos do céu em até 80% – nos Estados Unidos, onde a pesquisa foi realizada, chega a 99%.

Os olhos de quem vê

E além de tudo isso, claro, há sempre o fator humano. “Quando o céu está bonito, mais pessoas olham para ele e observam a Lua com mais atenção”, afirma o professor da USP. “E muitas vezes elas acreditam que ela está maior. É subjetivo, talvez seja algo para a psicologia responder”, concluiu.

iStock

Superlua

Há ainda um episódio astronômico no qual a Lua parece muito maior diante de nossos olhos. Quando o perigeu coincide com a fase da lua cheia, ocorre um fenômeno conhecido como superlua, que é bastante nítido aqui da Terra.

Na superlua, o tamanho do disco lunar fica 7% maior do que a média das outras luas cheia e o brilho do satélite é 16% mais intenso neste período. É exatamente o oposto do que ocorre na microlua, quando ela está no apogeu.

A próxima superlua poderá ser vista no céu no dia 3 de dezembro de 2017.

À luz da Lua