Ônibus sem circular, bancos fechados: 5 serviços que vão parar na greve desta sexta

por | abr 26, 2017 | Notícias

*Matéria publicada em 26 de abril e atualizada em 27 de abril de 2017

A greve geral, marcada para sexta-feira, dia 28 de abril, teve aceitação em massa em diversos setores do país. Organizada pela Frente Brasil Popular, com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), a paralisação é um protesto contra o corte de direitos trabalhistas, a terceirização e reforma previdenciária.

Muitos sindicatos já manifestaram intenção de aderir ao movimento, alguns, inclusive, já realizaram assembleias que aprovaram a paralisação. Outros, porém, ainda aguardam a quinta-feira (27) para tomar suas decisões.

Diversos estados do país devem fazer parte, com participação mais significativa de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Porto Alegre e Bahia.

Confira os setores que, até o fechamento desta matéria, já  haviam confirmado adesão à greve geral: 

Quem vai entrar em greve?

Shutterstock

Transporte

Os sindicatos dos rodoviários, dos metroviários, ferroviários, dos motoristas de ônibus, pilotos e comissários já manifestaram interesse de adesão em várias cidades.

Até o momento, em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Porto Alegre já houve aprovação da greve em assembleia das seguintes categorias:

  • Metrô, com paralisação o dia todo (em São Paulo, apenas a linha-4- amarela, que é administrada pela ViaQuatro, não irá participar); Exceção: os metroviários do Rio de Janeiro ainda não decidiram se vão aderir ou não à paralisação;
  • Motoristas e cobradores de ônibus também confirmaram;
  • Aeroviários farão paralisação de 24 horas. Em São Paulo, apenas 30% devem manter as atividades; 
  • Os ferroviários da CPTM de São Paulo também confirmaram adesão. Portanto, as linhas 7-rubi, 8-diamente, 9-esmeralda, 10-turquesa, 11-coral e 12-safira não funcionarão.

Muitas dessas categorias devem ratificar suas decisões em nova assembleia, que está marcada para quinta-feira (27).

Bancos

Os sindicatos dos bancários pelo Brasil já deliberaram greve em São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Pernambuco, Goiás, Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG), dentre outros.

Escolas/Faculdades

Professores da rede estadual, municipal, privada e de ensino superior já declararam que vão parar em todo o país. A adesão não é de 100% das instituições, entretanto, os sindicatos das categorias já manifestaram participação na greve.

Comércio

Sindicatos dos comerciários de alguns estados também vão participar. É o caso do Rio de Janeiro, algumas cidades de São Paulo, como Campinas e Sorocaba, e Porto Alegre, por exemplo.

Correios

Os profissionais dos Correios e Telégrafos decretaram na tarde desta quarta-feira (26) greve por tempo indeterminado. A paralisação terá início hoje, a partir das 22h. 

Hospitais

Até os hospitais cogitam paralisar. Em São Paulo, de acordo com o SindSaúde-SP, 13 hospitais participarão da greve integralmente. O Hospital Cachoeirinha, na Zona Norte, é um deles. Outros 10 hospitais, como o Hospital Estadual Mandaqui, na Zona Norte, devem paralisar as atividades somente durante o dia. 

Em Belo Horizonte, os profissionais da saúde também devem parar. Eles estão se propondo, entretanto, a cumprir apenas a escala mínima exigida por lei. 

Reformas do governo