5 pistas para uma paixão

por | dez 16, 2010 | Comportamento

ELE INCLUI VOCÊ NO UNIVERSO SOCIAL DELE – Apresentar uma nova mulher aos amigos e, mais ainda, à família é um sinal masculino claro de um desejo de tê-la na própria vida. “Tanto que todo mundo em seguida comenta, ‘é a namorada nova!’ e coisas do tipo. É um sinal de que ela foi escolhida e colocá-la entre meus é uma forma de demonstrar uma vontade de continuidade”, explica o designer André Almeida, 26. Outro detalhe fundamental: “Você só mostra a mulher com quem você está ficando para essas pessoas se ela é realmente interessante, especial. Nenhum homem vai se expor em levar para uma festa ou um bar uma mulher que não acrescente, que não forme um casal legal com ele”, afirma André.

ELE DISFARÇA – É aí que entra a grande contradição masculina mas, que, paciência, faz parte do jogo deles. Ele finge ser blasé, mas um ingrediente entrega tudo: a tensão. “O homem às vezes finge que não está dando bola, faz jogo difícil. Mulher também faz, até mais. Mas quando está afim, não sabe mentir: a perna balança, o cara fica sem saber direito como agir, onde colocar a mão, o que dizer, fica agitado. Isso tudo é sinal de que, apesar do teatro, o objeto de desejo dele está ali”, conta o não por acaso ator Bruce Lira, 29. “Demonstrar desinteresse por alguém que realmente não interessa é a coisa mais fácil do mundo”. Para Bruce, a atmosfera de dúvidas, incertezas e frios na barriga faz parte do jogo de sedução. “Pergunte para as mulheres se elas também têm interesse em homem fácil, que entrega o jogo logo na primeira rodada”, brinca, desafiando.

ELE DÁ INFORMAÇÕES SOBRE A PRÓPRIA VIDA – Homem é um bicho fechado, cheio de inseguranças. Por isso, quando um deles fala sobre si para uma mulher que está conhecendo, é a própria tradução da abertura para um relacionamento, ao menos de acordo com o publicitário Pedro Sales, 27. “Eu acho que, se um cara se abre para uma mulher, ela deve se sentir muito. A gente não é como elas que falam sobre medos, planos e vontades abertamente com qualquer pessoa. Se fala com ela, é porque se sentiu à vontade, seguro”, acredita. Segundo Pedro, falar sobre si para uma mulher recém conhecida é dar a ela um voto de confiança o que, no meio masculino, é uma peça valiosíssima. Além, é claro, de retomar o ponto da cumplicidade e do companheirismo, esboços de um relacionamento mais sólido. “Elas valorizam isso muito também, a confiança na base da relação. Se a coisa já começa assim, de jogo limpo, as chances de dar certo são muito maiores”, diz ele.

ELE SE INTERESSA PELA SUA VIDA – Criar intimidade. Essa é a tática que o cineasta Gustavo Eugênio, 31, usa para demonstrar interesse “sério”. “Eu considero muito sedutor para uma mulher ter um homem ao lado que queira saber da vida dela, sua história, seu cotidiano, seus problemas. E aí entra uma coisa que é também muito importante pra fortalecer o laço: criar intimidade”, garante ele. Ligar, mandar um e-mail ou uma mensagem de texto num começo de noite perguntando como foi o dia, para ele, é um sinal claro de interesse legítimo. “Mais óbvio que isso, não tem. Além de tudo, é uma atitude carinhosa. Mas, por incrível que pareça, ainda tem mulher que fica em dúvida sobre você com atitudes assim. Faço da maneira mais bem intencionada do mundo, inclusive como forma de apresentar meu jeito, mais cuidadoso, protetor”, acrescenta Gustavo.

ELE LIGA – Já é mais do que clássica a lenda do homem-que-não-liga-no-dia-seguinte. Essa figura gerou um trauma emocional entre as mulheres num tal nível que um mero telefonema nas precisas 24 horas seguintes ao primeiro encontro ganhou um significado monstruoso. Mas a primeira e talvez mais básica das dicas é que, quando está a fim, o homem procura. Pode não ser exatamente no dia seguinte, mas não passa muito disso. “É um princípio muito simples: se eu quero alguma coisa, vou em busca”, objetiva o arquiteto Ernesto Barilla, 28 anos. Para ele, essa é a primeira e fundamental atitude. “É uma maneira de marcar presença, demonstrar que o encontro teve algum valor e de dizer, mesmo que sem essas palavras, que gostei dela. É como se quisesse expressar: ‘olha, estou disposto'”. Mas por que não dizer isso logo, de cara? “Ah, não é fácil abrir o jogo assim. Tem que ser devagar, sem precipitação pra não errar na escolha e nem magoar. Por isso que essa coisa do dia seguinte é uma coisa meio obsessiva, meio simbólica. Não estamos falando de paixão à primeira vista, de pedir em noivado no segundo encontro. Um relacionamento tem que viver de dados e condições reais”, explica.

ELE SE INTERESSA PELA SUA VIDA – Criar intimidade. Essa é a tática que o cineasta Gustavo Eugênio, 31, usa para demonstrar interesse “sério”. “Eu considero muito sedutor para uma mulher ter um homem ao lado que queira saber da vida dela, sua história, seu cotidiano, seus problemas. E aí entra uma coisa que é também muito importante pra fortalecer o laço: criar intimidade”, garante ele. Ligar, mandar um e-mail ou uma mensagem de texto num começo de noite perguntando como foi o dia, para ele, é um sinal claro de interesse legítimo. “Mais óbvio que isso, não tem. Além de tudo, é uma atitude carinhosa. Mas, por incrível que pareça, ainda tem mulher que fica em dúvida sobre você com atitudes assim. Faço da maneira mais bem intencionada do mundo, inclusive como forma de apresentar meu jeito, mais cuidadoso, protetor”, acrescenta Gustavo.

ELE DISFARÇA – É aí que entra a grande contradição masculina mas, que, paciência, faz parte do jogo deles. Ele finge ser blasé, mas um ingrediente entrega tudo: a tensão. “O homem às vezes finge que não está dando bola, faz jogo difícil. Mulher também faz, até mais. Mas quando está afim, não sabe mentir: a perna balança, o cara fica sem saber direito como agir, onde colocar a mão, o que dizer, fica agitado. Isso tudo é sinal de que, apesar do teatro, o objeto de desejo dele está ali”, conta o não por acaso ator Bruce Lira, 29. “Demonstrar desinteresse por alguém que realmente não interessa é a coisa mais fácil do mundo”. Para Bruce, a atmosfera de dúvidas, incertezas e frios na barriga faz parte do jogo de sedução. “Pergunte para as mulheres se elas também têm interesse em homem fácil, que entrega o jogo logo na primeira rodada”, brinca, desafiando.

ELE DÁ INFORMAÇÕES SOBRE A PRÓPRIA VIDA – Homem é um bicho fechado, cheio de inseguranças. Por isso, quando um deles fala sobre si para uma mulher que está conhecendo, é a própria tradução da abertura para um relacionamento, ao menos de acordo com o publicitário Pedro Sales, 27. “Eu acho que, se um cara se abre para uma mulher, ela deve se sentir muito. A gente não é como elas que falam sobre medos, planos e vontades abertamente com qualquer pessoa. Se fala com ela, é porque se sentiu à vontade, seguro”, acredita. Segundo Pedro, falar sobre si para uma mulher recém conhecida é dar a ela um voto de confiança o que, no meio masculino, é uma peça valiosíssima. Além, é claro, de retomar o ponto da cumplicidade e do companheirismo, esboços de um relacionamento mais sólido. “Elas valorizam isso muito também, a confiança na base da relação. Se a coisa já começa assim, de jogo limpo, as chances de dar certo são muito maiores”, diz ele.

ELE INCLUI VOCÊ NO UNIVERSO SOCIAL DELE – Apresentar uma nova mulher aos amigos e, mais ainda, à família é um sinal masculino claro de um desejo de tê-la na própria vida. “Tanto que todo mundo em seguida comenta, ‘é a namorada nova!’ e coisas do tipo. É um sinal de que ela foi escolhida e colocá-la entre meus é uma forma de demonstrar uma vontade de continuidade”, explica o designer André Almeida, 26. Outro detalhe fundamental: “Você só mostra a mulher com quem você está ficando para essas pessoas se ela é realmente interessante, especial. Nenhum homem vai se expor em levar para uma festa ou um bar uma mulher que não acrescente, que não forme um casal legal com ele”, afirma André.