Ed Sheeran revela o que sofreu na escola devido a bullying e lição que tirou disso

por | mar 25, 2019 | Comportamento

Hoje em dia, Ed Sheeran é um grande sucesso no mundo e superadorado por todos. Porém, nem sempre foi assim.

Recentemente, o cantor inglês revelou que sofreu um período de bullying na época da escola por sua aparência física e por outras características.

Ed Sheeran sofreu bullying na escola

Sheeran foi um dos convidados do especial “Love Music Hate Racism”, uma campanha contra o racismo que produziu alguns vídeos em formato de entrevista para o YouTube.

Na rodada com Sheeran, o cantor inglês conversou com o DJ Nihal e o rapper Dave sobre o momento em que se sentiram diferentes dos demais.

Em seu relato, Sheeran revelou que na escola se sentia diferente pelas chacotas que recebia por sua aparência.

“Eu era ruivo, então eu era zoado do dia em que eu comecei na escola. Ruivo, gago, usava óculos enormes, era um pouco estranho.”

Lição de Sheeran sobre o bullying

A princípio, o seu jeito “estranho” era incômodo para Sheeran. Porém, o músico contou que, conforme ele amadurecia, passou a enxergar as vantagens de ser diferente e amar seu modo de ser.

Outro ponto que ajudou Sheeran a lidar com o bullying sofrido foi a música e o processo de autoconfiança que essa arte lhe proporcionou.

“Toda vez que eu fazia um show era ‘Oh, é aquele ruivo com aquela guitarrinha’. E você é lembrado por isso. De repente você começa a ganhar atração porque você é memorável. Música foi uma das coisas que me deram confiança (…) De repente você fica ‘wow, eu posso realmente fazer algo bem’ (…) O que eu sempre falo para as crianças é: ‘É incrível ser esquisito’.”

Bullying escolar: como saber se meu filho sofre

O bullying entre crianças é algo que acontece no ambiente escolar, especialmente com crianças que são vistas como diferentes pela maioria, como as mais baixas ou altas, magras ou gordas, tímidas, etc. – e, ao contrário da experiência do cantor, nem sempre elas conseguem enxergar o lado positivo da diversidade e transformar o trauma em algo empoderador.

“É preciso que pais e professores estejam atentos para que percebam quando brincadeiras sadias, que ocorrem de forma natural e espontânea entre os alunos, se tornam verdadeiros atos de violência e perversidade, quando apenas alguns se divertem à custa de outros que sofrem”, afirma a pedagoga Fabiana Falcone, coordenadora pedagógica do colégio Fadelito, em São Paulo.

Vale dizer, porém, que a prática do bullying não começa na escola nem é mais frequente no ambiente escolar. Trata-se de um comportamento adquirido de fora e carregado para dentro da escola.

istock

“Acredito que as crianças que têm esse tipo de comportamento já trazem de casa e, muitas vezes, os próprios pais estimulam ou praticam esse comportamento”, alerta.

Por isso é importante que familiares e professores façam um trabalho com as crianças sobre as diferenças que existem entre elas, já que a criança vítima de bullying pode mudar seu comportamento de diferentes maneiras.

“Pode tornar-se retraída, ou agressiva e descontrolada. É importante que os adultos que convivem com a criança estejam bem atentos a qualquer mudança no comportamento para conversar com ela e detectar o que aconteceu”, diz a pedagoga.

Bullying