Fertilidade masculina pode estar caindo em ritmo acelerado no mundo todo, aponta estudo

por | fev 14, 2023 | Saúde e bem-estar

Durante os últimos 50 anos, a fertilidade masculina parece estar caindo progressivamente. É o que aponta uma revisão de estudos publicada recentemente na revista científica Human Reproduction Update, trazendo dados sobre o fato de que, de acordo com os dados existentes, a contagem de espermatozoides vem diminuindo mais a cada ano – e a queda total foi de 52%.

Homens produzem cada vez menos espermatozoides

Segundo uma análises de dados obtidos a partir da compilação de 38 trabalhos anteriores, a fertilidade masculina parece estar caindo um pouco a cada dia. Conforme mostram os dados, há a queda anual de 1% na produção de espermatozoides desde 1973 – algo que totaliza uma diminuição de 52% em 50 anos.

O temor da equipe científica é que a média fique, eventualmente, abaixo do padrão saudável, o que poderia resultar em uma crise reprodutiva global.

Segundo os pesquisadores, a principal consequência da diminuição da fertilidade masculina é o aumento da quantidade de casais que enfrentam problemas para engravidar. Com uma contagem pequena de espermatozoides, a fecundação se torna mais difícil – e, junto do fato de que mulheres estão decidindo engravidar cada vez mais “tarde” (o que também reduz as chances de haver a gestação), isso se torna uma questão ainda mais impactante.

Ao veículo britânico ” The Guardian“, jmédicos afirmam que, apesar de o motivo disso ainda não estar claro, é possível que produtos químicos repletos de substâncias chamadas de disruptores endócrinos ou outros fatores ambientais podem ser algumas das causas.

Além disso, hábitos como fumar e beber, obesidade e má alimentação também podem estar ligados com esta queda na fertilidade.

Apesar de trazer dados relevantes, o estudo provocou debates entre especialistas em fertilidade masculina. Além de ressaltarem a importância de mais pesquisas sobre o tema, cientistas não envolvidos no levantamento afirmaram, em entrevista à rede de notícias CNN, que as informações obtidas não podem ser consideradas conclusivas.

Isso, segundo eles, ocorre porque os métodos de contagem de espermatozoides mudaram muito ao longo do tempo, o que pode tornar a comparação entre os números antigos e atuais algo não tão fiel à realidade.

Ciência e saúde