null: nullpx
filhos-Mulher

"Crechite" não chega a ser uma doença, mas pede atenção se durar mais de 3 dias

Apesar de comuns, os sintomas de "viroses" devem ser acompanhados de perto. Entenda!
Publicado 13 Abr 2022 – 09:35 AM EDT | Atualizado 13 Abr 2022 – 09:35 AM EDT
Reações
Compartilhar

O período de adaptação à creche não é fácil para os pais ou para os filhos. Além de precisarem se acostumar com a distância das figuras parentais e do ambiente em que se sentiam seguros, é muito comum que as crianças fiquem doentes.

O que antes era chamado simplesmente de virose, passou a receber um nome bastante sugestivo nos consultórios pediátricos: crechite.

Com sintomas comuns, não se trata de uma doença específica, tende a ser leve, mas deve ser acompanhada de perto.

Filho doente depois de ir para creche

Apesar de muitas vezes os sintomas estarem relacionados ao período em que a criança inicia a sua rotina de ir à creche, Daniel Raylander, pediatra do Hospital Anchieta de Brasília, deixa claro que a exposição ao convívio com qualquer outra pessoa pode causar doenças.

“Isso pode ocorrer em creche, dentro da família e até do próprio núcleo familiar”, afirma.


É importante entender que “crechite” não se trata de uma condição específica, mas diversas manifestações infecciosas que podem acometer o sistema respiratório, gastrointestinal, mucocutâneo entre outros.

Sintomas comuns

Entre as condições mais comuns estão as doenças respiratórias e gastrointestinais. E os principais sintomas são:


  • febre,
  • coriza,
  • tosse,
  • vômitos,
  • diarreia,
  • baixa aceitação alimentar.

Em alguns casos, é possível notar também alterações de pele como vermelhidão e descamação.

Devo me preocupar com os sintomas?

Segundo o especialista, é importante lembrar que não é incomum que uma criança se infecte várias vezes ao ano. Por isso, os sintomas leves podem ser tratados em casa.

Para o Dr. Daniel Raylander, “os pais devem estar atentos aos sinais de alarme”. São eles:


  • febre alta (maior ou igual a 39 graus),
  • vômitos com dificuldade de aceitar líquidos e medicações,
  • sonolência excessiva,
  • redução na quantidade e frequência de urina.

Caso os sintomas (mesmo que leves) durem mais do que três dias é importante buscar acompanhamento médico.

Cuidados com os filhos

Reações
Compartilhar

Mais conteúdo de interesse