Mielomeningocele: causas, sintomas e tratamento

por | jun 30, 2016 | Gravidez e bebês

A mielomeningocele (ou espinha bífida) é uma malformação congênita da coluna vertebral da criança, que faz com que a medula espinhal da criança nasça exposta. A medula é a ligação entre o cérebro e os nervos periféricos do corpo e, ao não se formar corretamente, compromete as funções motoras e de órgãos, como bexiga e intestino.

Leia também:

Excesso de pelos em bebês é normal?

DNA livre fetal: saiba como é feito o exame que detecta síndromes genéticas

Ultrassom gestacional: 10 dúvidas sobre o exame

Causas

No primeiro mês da gravidez, os dois lados da coluna (ou espinha dorsal) se unem para cobrir a medula espinhal, os nervos e as meninges, mas, por algum motivo, às vezes essa união não se dá corretamente, provocando a mielomeningocele. As causas são desconhecidas, mas os especialistas acreditam que a baixa concentração de ácido fólico no organismo da mulher durante a gestação possa ter alguma influência, já que ele é essencial para o desenvolvimento do tubo neural. Exames realizados no pré-natal podem diagnosticar esse problema, bem como outras doenças congênitas, como a síndrome de down.

Sintomas

Cerca de 90% das crianças com mielomeningocele desenvolvem hidrocefalia, que é a acumulação de líquido na cavidade craniana. Outros sintomas são:

  • Perda do controle da bexiga ou dos intestinos
  • Paralisia parcial ou completa das pernas
  • Fraqueza nos quadris, pernas ou pés
  • Pés ou pernas tortas
  • Pelos na região pélvica

Tratamento

A correção da medula espinhal deve ser feita o mais rápido possível. O diagnostico precoce da doença no pré-natal permite que a cirurgia seja feita nas primeiras horas após o nascimento. Antes do procedimento, o bebê deve ser manipulado com cuidado para evitar danos à medula espinhal exposta.

Um rigoroso acompanhamento médico deve ser feito por toda a vida para garantir o melhor desenvolvimento da criança nos aspectos intelectuais, neurológicos e físicos.

Prevenção

Alimentos ricos em ácido fólico podem ajudar a reduzir o risco malformação do tubo neural. Todas as mulheres que pensam em engravidar devem consumir o nutriente diariamente, enquanto para aquelas que já estão grávidas é recomendada a suplementação em cápsulas.