Imagem de Frida Kahlo está por toda parte, mas pouco são mostradas suas deficiências

por | jul 12, 2021 | Mundo

Nascida em 6 de julho de 1907, na cidade de Coyoacán, no México, Frida Kahlo ficou conhecida por suas obras repletas de cores e, claro, por autorretratos que imortalizaram sua forte imagem.

O olhar marcante, os cabelos negros adornado por flores, as vestimentas típicas e as grossas sobrancelhas da pintora já fazem parte da cultura popular e hoje estampam os mais variados produtos.

E se a aparência física de Frida Kahlo é tão impactante e conhecida, por que pouca gente se lembra – ou mesmo sabe – que ela era uma mulher com deficiência?

Deficiência de Frida Kahlo é “apagada” de sua história

De acordo com Mariana Torquato, youtuber e ativista contra o capacitismo (preconceito contra Pessoas Com Deficiência), parte importante da história da artista mexicana, especialmente sua deficiência, foi apagada.

“Para virar um ícone mainstream, apagaram sua deficiência, sua aversão ao capitalismo”, afirmou Mariana em uma explicação em seu perfil no Twitter.

Durante a infância, Frida Kahlo teve poliomielite, que a deixou com sequelas em uma das pernas. Aos 18 anos, sofreu um grave acidente de ônibus que a obrigou a permanecer um longo período hospitalizada.

A pintora foi submetida a mais de 30 cirurgias e passou toda sua vida lutando contra a dor. E o fato de Frida ser uma pessoa com deficiência não é apenas um simples “detalhe” de sua biografia. Foram suas limitações que a levaram para a arte.

Frida Kahlo só começou a se expressar artisticamente após seu acidente. A pintura era uma forma de distração enquanto ela permanecia se recuperando em uma cama. “A artista Frida Kahlo que conhecemos hoje em dia só existiu porque Frida era uma mulher com deficiência”, diz Mariana.

A pintora, aliás, nunca escondeu sua deficiência. Em seus autorretratos, constantemente se mostrava sentada, calçando seus sapatos especiais ou vestindo o colete de gesso que era obrigada a utilizar para a coluna.

Frida Kahlo faleceu em 13 de julho de 1954, aos 47 anos, no México, por embolia pulmonar.

Frida Kahlo: fenômeno pop