null: nullpx
síndrome de burnout-Mulher

Técnica da subtração ajuda a ter rotina mais saudável e aliviar o esgotamento profissional

Com uma lista em mãos, você vai aprender a eleger prioridades e valorizar cada tarefa
Publicado 27 Jul 2022 – 04:13 PM EDT | Atualizado 27 Jul 2022 – 04:13 PM EDT
Reações
Compartilhar
Mulher fazendo uma lista de prioridades Crédito: PeopleImages/iStock

Independente das discussões sobre formatos de trabalho (presencial, híbrido ou home office), a sensação de esgotamento profissional está cada dia mais presente no cotidiano das pessoas. Há quem diga que até dentro de casa, o excesso de telas e a falta de rotina foram incentivos para trabalhar ainda mais.

Fato é que direcionar todos os esforços exaustivamente sentido à produtividade profissional, na verdade, pode ocasionar uma grande frustração e o resultado ser oposto. A resposta para esse impasse parece simples: humanamente, é impossível dar conta de tudo o tempo inteiro.

O que é a sensação de esgotamento?

A sensação de esgotamento, também chamada de Síndrome de Burnout, é caracterizada como uma condição profissional-ocupacional que advém do excesso de compromissos.

Um cenário muito comum para o desenvolvimento da condição é a jornada exaustiva de mulheres que acumulam funções domésticas e familiares com desafios profissionais.


Sono não reparador, falha de memória, desânimo e ansiedade são sintomas comuns da sensação de esgotamento. Eles podem ser tratados com ajuda de um terapeuta e, em última instância, até com medicamentos indicados por um psiquiatra.

Segundo o psicólogo Alexander Bez, a organização do próprio dia no trabalho é essencial para não acumular funções sem perceber e diminuir a preocupação. Além disso, é preciso fazer uma autoanálise assim que os primeiros sintomas aparecerem.

"Ter consciência das próprias questões pessoais e profissionais é, sem sombra de dúvidas, o primeiro ponto. Sem isso, as cobranças sempre irão repercutir com mais intensidade", explica ele.

Técnica da subtração

Na prática, é possível entender o que é prioridade no dia e o que pode ficar para outro momento com o auxílio de uma lista escrita à própria mão, por exemplo, que até pode ser terapêutica. Afinal, lembre-se: quando você faz demais, você limita sua capacidade mental e criativa.

Com a lista na mão, é hora de praticar uma dinâmica menos acelerada e mais saudável. Veja abaixo algumas dicas:


1. Aceite a "estagnação" pelo que ela é: temporária. Todo mundo estagna em algum momento da vida, especialmente na escala corporativa. Quando você reconhece isso, a perspectiva permite que você pare de se diminuir e cobrar e comece a avançar de forma realmente produtiva.

2. Faça das pausas e respirações suas aliadas. Mesmo que você ame o seu trabalho durante um exaustivo dia, é possível e necessário alguma pausa. O método Pomodoro pode te ajudar a manter a concentração profissional sem ainda esquecer de olhar para você mesmo.

3. Nem tudo pode ser controlado e todos precisam saber disso. É ótimo que você queira mostrar para seu chefe que você tem excelência no que faz, mas não se cobre em pensar demais sobre isso. Mantenha o foco na tarefa do momento!

Afinal, essa pode ser uma causa para a estagnação. Ainda é preciso planejar, mas não ter absolutamente tudo milimetricamente planejado. O progresso, por menor que seja, ainda é progresso.

Ambiente de trabalho

Reações
Compartilhar

Mais conteúdo de interesse